sábado, 22 de dezembro de 2007

Nacos de paraíso.

Fui anteontem a Barrrancos, em Garuva, para o lançamento do livro de Gleison Vieira, Porto Barrancos berço de Garuva.
Tendo saído já atrasado de Joinville, acabei chegando depois do evento. Mas, tive oportunidade de saudar o prefeito João Romão, além do autor, Dona Lucila e outras pessoas - e de apreciar o peixe frito e a sopa de peixe que a comunidade havia preparado para o aniversário de 200 anos do lugar.
Fiquei admirado com o respeito dos presentes (gente de Garuva, Itapoá, Joinville) para com o trabalho do jovem historiador. Bom começo de carreira para Gleison Vieira, que é professor na escola Carmen Seara Leite, onde comecei meus estudos em 1960.
Fazia tempo que eu não passeava pela região. Atravessei o estreito do Gibraltar (na Vigorelli) com a balsa do meio-dia. Claro, tive de dar uma paradinha no recanto que existe logo depois que tomamos a estrada de Barrancos (em Tornos dos Pintos), onde, na semana passada, fiz umas fotos bem convidativas.
No ir e voltar desse cantinho de mundo, coletei outras imagens, algumas delas da grande pedra do Cantagalo, que já fotografei de numerosas posições por toda a região. Um dia espero ter a paciência e a determinação do Gleison para coletar os causos que a gente do lugar conta acerca desse morro, o ponto mais alto da Serra de Barrancos, uma extensão da Serra do Mar que se estende de Garuva até o distrito do Saí, na Vila da Glória.

Nenhum comentário: